quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Contexto sem texto..

 
A falha da navalha poupou uma vida angustiada.
Zera-se o ano, os fogos escurecem e a vida volta ao normal.
Dia seguinte não é novo, as promessas e planos ficam eternamente enterrados na virada.
A força usada em um primeiro passo perde a intensidade no seguinte, quando as metas não estão a frente de quaisquer distrações e imprevistos, ficam perdidas pelo caminho, o que gera as lamentações usadas repetitivamente de “como queria voltar o tempo”..
Ahh se eu pudesse pará-lo, rebobinar a fita da vida, ou então apressar quando lhe convém.
Mas pensando bem, melhor que seja assim mesmo.
Só uma chance, só um agora, que constantemente é perdido, só um amanhã que logo se esvai.
Pensar que este momento jamais será revivido torna-o único, porém são poucos que se dão conta do quão escasso e raro é o hoje e aproveitam devidamente.
Esperar perder para valorizar é o grande erro, cometido constantemente.

“Tem gente que vive chorando de barriga cheia..”

Ao invés de se lamentar por não viver em uma mansão, ou por não conseguir tirar as tão esperadas férias, agradecer por ter um teto e um emprego.
A natureza não está se “vingando” de almas ruins, dia-a-dia a destruímos um pouco, empresas visam lucros, mas não pensam nas conseqüências que podem causar ao meio ambiente, poucas pessoas ocupam áreas enormes, deixando os mais pobres entulhados em morros, jogados nos cantos não fiscalizados, nas sobras de terra.
Não é de se esperar que o clima mude a cada dia mais e constantemente, as chuvas não tem culpa, os morros não tem culpa, as pessoas que ali sobrevivem não tem culpa.
E ironicamente, os que menos tem, no fim são os que mais perdem.
Será que o egoísmo tem limite?
Não respeitam a natureza, as pessoas, a vida.
Que em 2011 essas pessoas tenham mais compaixão, não pensem somente em lucros, visem um pouco mais além.
De que adianta tanto dinheiro? Será bem aproveitado no caixão.

Um mundo mais limpo, noticiários tranqüilos, ruas cheias de bicicletas, crianças brincando, pessoas sorrindo, casas sem grade, nada de alarme, sem armas, nem prisões.
Chega de agressão física e moral, chega de desastres, corrupção, chega de poder!
Queria eu começar um ano em que as metas de toda humanidade fossem estas e que a cada dia contribuíssem para um mundo melhor.








"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador