domingo, 29 de agosto de 2010

Vamos lá..

Vamos lá, conte-me uma história de ninar
Vamos lá, tente me fazer sonhar.

Acenda o velho abajur, aponte pra parede e desenhe suas imaginações utópicas de possíveis amanhãs.
Explique a esta velha criança cansada, pra que servem os sentimentos?
Traga-me um copo, misture devaneios e futilidades, aqueça um pouco com seu sopro de possíveis verdades.
Diga pra sua mãe e seu pai, o quanto sente por suas vidas deprimentes.
Deixe a paciência lá, enquanto começa a regular o termômetro de inquietações.
Estou com febre, as dores nostálgicas ameaçam minhas costas, meu cérebro entra em briga com a mente.

Vamos lá, conte-me uma história de ninar
Vamos lá, me faça acreditar.

Que tudo que diz é verdade.
Que sua verdade reina em algum canto.
Me mostre como é possível estás luzes serem reais, me mostre como se encontra a paz.
Prove que estive errada o tempo todo.
Diga que o que vivi foi só um jogo.
Então me faça encontrar a verdadeira beleza escondida, uma segunda realidade.
Rasgue por favor os contos de fadas, ponha fogo nos finais felizes.
De que servem?
Se me diz que não existem..
Sonhei que podia voar, mas logo cai.

Então vamos lá, me conte uma história de ninar.
Vamos lá, faça-me delirar.

Esquecer tudo que vi, tudo que ouvi e vivi.
Nascer pateticamente de outra forma, menos desesperadora e mais sorridente.
Nascer cantando e poliglota misteriosamente.
Nascer em algum lugar do espaço, enquanto uma perdida estrela cadente tenta encontrar seu rumo.
E morrer perto do nada, onde eu possa fugir de lágrimas.

Vamos lá, conte-me uma história de ninar.
Pois essa é meio difícil acreditar.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

" Tem gente enganando a gente"



Literalmente e infelizmente o Brasil é muvuca!
Eu amo meu país, me orgulho de ter nascido aqui, pois tem muitos outros lugares em estados muito mais decadentes, mas o povo não é ignorante, mas algumas pessoas “dotadas de poderes” , insistem em brincar de faz de conta com as pessoas, insistem em tratar-nos como crianças ingênuas e manipuláveis, dão um punhadinho de centavos e o povo sorri e agradece.
O povo infelizmente também tem sua culpa no cartório, pois eu não vejo garra, eu não vejo imposição, protestos, pressão, eu não escuto a voz do povo..
E infelizmente, quando calamos e aceitamos conformados a derrota, o drama todo só tende a piorar.
São coisas estúpidas, são coisas ridículas.
Deve-se eleger um candidato e deixar o país em suas mãos?
Nas mãos do governo?
Pra nos fazerem de escravos, roubando descaradamente nosso dinheiro, enquanto nós não fazemos nada pra mudar?
Uma coisa eu aprendi nisto tudo, ser honesto aqui é PREJUIZO!
Honestos são roubados de todos, são enganados, são silenciados, não tem poder de decisão, de opção, não tem nenhum poder.
As pessoas pra eles são números, dinheiro, papéis, casas e viagens.
E somos culpados por tudo isso!
Em um país onde o bandido ganha mais que o homem pobre que se mata trabalhando por um salário mínimo.
Onde a família do preso recebe dinheiro, onde políticos fazem viagens e compras com o dinheiro sonegado, onde pessoas contribuem a vida inteira para o INSS e quando vão reivindicar seus direitos a burocracia e desorganização é tanta, que passam muito tempo a espera de algo que é seu por direito.
Onde hospitais não tem leitos para atender a doentes, muitos acabando por morrer.
Onde se gasta mais dinheiro com carnaval e futebol, do que com a educação, saúde e segurança.
Qual serão os próximos discursos políticos?
“-Votem em mim, criarei mais danceterias, puteiros, haverá carnaval todo mês e escolas de futebol, onde não precisa saber ler e escrever, vou enfatizar a mídia e quem sabe distribuir umas cestas básicas..”
E é capaz de ser aplaudido e ganhar a eleição..
Do jeito que a coisa anda.
Nada disso vai mudar, vai piorar, até que o povo se una e pense um pouco no futuro do país, não só em diversão, só em suas vidas, as pessoas andam tão egoístas, tão individualistas, tão acomodadas, se raciocinassem e defendessem seus ideais, talvez alguma coisa começasse a mudar..

alguma coisa.

Se der o tapa, não esconda a mão!

Se for pensar em criticar, ao menos procure antes conhecer.
Não dispense, antes de conceder a oportunidade.
Não engane, se não quer ser enganado.
Não minta pros outros, estará primeiramente mentindo pra si.
Não aja como se tudo soubesse, porém não viva na ignorância.
Busque sempre conhecimentos, aprendizados, novas experiências.
Superar, mudar, reinventar, apimentar a vida, buscar um certo sentido, mesmo que não exista sentido algum, dar um tom de uma história inédita escrita a cada segundo.
Cante, dance, pule, sonhe, ria, chore, grite, ame..
Não se julgue melhor que ninguém, desça do salto, quanto mais alto, mais doida é a queda.
Deixe um espaço vago para que pessoas possam aproximar-se, sem sustos, sem indiferenças.
Não ignore o caos vivido pelo mundo, tente fazer com que outros olhos enxerguem que o fim ainda não chegou e com isso ainda há esperança.
Não desista das pessoas, ainda há gente no mundo, escondidas , devemos reconhecê-las.
Não deixe de sonhar, não deixe de acreditar, não esqueça nunca das pessoas que estiveram sempre ao seu lado.
Não mude seus princípios, aceite os alheios, mude o conceito, mude a forma de agir, mas nunca a essência.
Não deixe que outros influenciem em suas decisões, segue o coração, as vezes a razão.
As vontades devem ter vida própria, quando não prejudicarem a outros.
Estar sempre em paz com seu “eu” é fundamental, uma guerra interna é catastrófica.
Não tenha medo de não saber o que quer da vida, contanto que esteja em seus planos e ações vive-la plenamente.
Acredite no que quiser, não deixe que seus sentidos sejam um limite, pois a mente é infinita.
O respeito é a base e fundamental em qualquer convívio, então respeite a todos, e tenha paciência com quem não tem a devida sabedoria pra entender algo tão simples.
O mundo é grande, tem sempre o que fazer, então o tédio só é vivido pelos preguiçosos.
A vida só tem sentido, quando não faz sentido, então não pense que sabe de algo, eu também não sei, afinal, ninguém sabe de nada.
Conjugue tantos verbos quiser, porém os bons escolhem as palavras mais raras e extintas para fazer notória diferença..

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Literalmente uma caixa de lembranças.


Não consigo me lembrar de tudo que aconteceu, nem todos os rostos que vi posso projetar, todas as palavras, todos os sentimentos, as sensações, as surpresas, nem todo dia, nem noites, nem lugares, nem cheiros e sabores, pertenceram a mim em algum momento deixado em alguma página do passado, mas escaparam de minhas mãos no segundo em que passou.

 A nostalgia surge de repente, ao perceber que a mente apagou boa parte de seu tesouro de acontecimentos e vivências, que o tempo levou amigos e amores ao esquecimento e fez com que coisas que eram tão fantásticas ao serem vistas a primeira vez, perdessem o encanto.
 A minha infância tão mágica, os descobrimentos, os primeiros amigos, todos os segredos, tudo que era tão importante, simplesmente desapareceu.
 Eu tenho protestado!
 Não admito perder tesouros, não dei permissão para que meu passado fosse apagado, é todo meu e preciso dele.
 A guerra com a senhora memória parecia realmente perdida, ela só ganhava, a cada dia uma lembrança caia no esquecimento..
 Foi então que surgiu a idéia, pegar uma caixa e guardar alguma coisa especial de cada pessoa ou acontecimento especial, que trouxesse a mente nitidamente aquele momento, as sensações..
 Cartas, convites, pedras, fotos, um papel de bala, um ingresso, um bilhete, uma flor, um pedaço de árvore, uma pulseira, uma garrafa, não importa, qualquer coisa simbólica que me lembre aquilo que eu não quero esquecer, que me traga de volta.

  Uma pequena caixinha de tesouros diferentes, mas com muito valor pra mim!



sexta-feira, 20 de agosto de 2010

enjoy


                                            "I don't want what you want
                                             I don't feel what you feel
                                             See I'm stuck in a city
                                             But I belong in a field.."

                                                The Strokes-Heart In A Cage
      

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

ser criança..


Quando se é criança é tudo mais simples, mais mágico, mais puro.

Quando se é criança a sinceridade e as vontades tem vida própria, os sentimentos são demonstrados a medida que aparecem e não existem preconceitos, nem preferências.
Quando se é criança o mundo é colorido e todos são super-heróis..
Tudo é novo e a sede de aprender é constante.
Não há maldade, pudor, vergonha, nem privações.
Não há inveja, o dinheiro é apenas papel, não há preocupações.
A vida não vira rotina e não se tem problema em fazer amizades.
Criança não tem depressão, criança não odeia, criança não mata.
Mas os adultos criam as crianças, eles destroem seus sonhos, pois um dia outros adultos destruíram os deles.
Eles mostram uma vida de medos e cobranças, uma vida de normas e obrigações, uma vida de estresses..
Eles ensinam a esconder os sentimentos, a não acreditar nas pessoas para não se ferir, eles ensinam o pré-conceito.
Contam histórias de guerras, os fazem assistir desenhos de briga e competição, os ensinam a chorar e a querer toda a futilidade e o quanto o dinheiro importará em seu futuro.
Ensinam a não acreditar no amor, mostrar que seus mundos encantados são mera imaginação, transborda insegurança e desconfiança.
As crianças viram jovens, que em plena faze de mudanças e inundações de duvidas, enchem-se de problemas e já não sabem mais o que fazer, o que esperar da vida.
As antigas crianças começam a perder as esperanças.
Em meio a faze adolescente regida por rebeldia e mudança, são obrigados a escolher o que farão de seus futuros.
A mente transborda, entra em pânico..
De um lado os pais, do outro os amigos, a mídia, as vontades, a pressão, o status e o tempo não parece nada acolhedor.
Eles precisam respirar, precisam de uma ajuda, mas ninguém parece se importar.
Muitos escolhem futuros que prometam uma bela condição financeira, pois foi isso que os “adultos” ensinaram a valorizar e visar, deixando de lado e ignorando por completo seus dons, suas vontades e seus sonhos.
Muitos perdem suas características únicas e se juntam ao resto, para camuflar-se no meio da multidão e simplesmente deixar que suas vidas sejam guiadas por elas.
Aprendem a não respeitar a si mesmo, nem aos outros.
Aprendem a julgar pessoas e ridicularizar quem não é igual aos outros.
Aprendem a não aceitar outras formas de vida, outras opiniões, senão as próprias, porém nem mesmo eles tem opinião, concordam com tudo que ouvem daquelas pessoas que agora são seus novos “heróis”..
Tornam-se adultos frustrados, alienados, depressivos, desanimados, adultos sem esperança e sem vontade de realmente viver.
Estes adultos geram novas crianças e com todo prazer descontam suas frustrações neles, destruindo a vida destas crianças como um dia fizeram com as suas.
Basta!
Nessa busca incessante de si mesmo, acabam todos por se perder, deixando aquilo que eram no passado e encontrando um simples desconhecido.
Não seria melhor inverter os papéis?
Que tal virar criança novamente?
Parece mais sadio, parece mais humano e mais digno de vida.
Então deixemos que elas nos eduquem e nos tragam de volta aquilo que era essencial e se perdeu por um caminho ilusório.
Voltemos a inocência, voltemos a viver.

sábado, 7 de agosto de 2010

Postou-se no vazio, para ouvir a respiração.



Se juntou perdida, a manada de sonhos que corriam para dentro do espelho.
La dentro ensurdeceu e de repente começou a cantar, desafinada e feliz.
Não conhecia a música, mas brotava de sua mente a cada verso inacabado.

Uma escrivaninha com suas folhas brancas e tinta fresca, pareceu convidativa.
Canhota pela primeira vez, jorraram letras e o papel logo estava encharcado, tentou consertar e a folha sugou-a inteira.
Como escrevia de um amor que nunca conheceu, lá foi parar, em um par de olhos apaixonados, deu-lhe um abraço e mandou esperar.

Saiu andando confiante, por uma estrada que não tinha nome, apenas uma velha placa dizia “siga!”.
No meio caminho uma cachoeira, mergulhou os pés na fina água e logo arrepiou-se inteira.
Tinha uma pedra, meio vermelha, flutuando ao acaso, pegou então, chamou talismã, enfiou no bolso e saiu faceira.

Voltou pra estrada, mas tudo parecia igual.
Estava definitivamente andando em círculos.
O sangue esquentou, quebrou a placa, mandou o rapaz parar de sonhar, rasgou a folha, silenciou, voltou então a escutar..

Quebrou o espelho, desorientou os sonhos, voltou-se então para o tudo.
Não ouvia mais respiração alguma, nem mesmo o coração parecia bater.
Pegou do bolso o amuleto, agora era verde e um pouco maior.

Olhou pro céu alaranjado, e pras árvores azuis, as pessoas amarelas e o mar violeta, estava tudo em ordem, a paz ainda reinava em um lugar distante daqui.

descobri..


.. assim por acaso o segredo para uma vida longa e cheia de surpresas..

Não são fórmulas complicadas, nem uma dieta balanceada, nem muitos exercícios, nem plásticas, nem dinheiro..
É simples, é ridículo de tão simples, basta adicionar “virgulas” a sua vida..
Não é difícil, mas porém nem todos sabem realmente em que consiste este processo.
Enganam-se aqueles que pensam que uma vida rotineira tem vírgulas..
Uma vida rotineira já tem seu ponto final e tende a esperar tediosamente o dia de seu fim, que por sinal, será em um dia rotineiro, sem nenhuma emoção.
Ao lembrar de pessoas tediosamente rotineiras, as pessoas não terão muitas lembranças, pois parecerão todas iguais e estas pessoas, ainda que deixem saudades, não deixarão emoções delirantes a se lembrar.
Porém pode-se fazer uma vida diariamente diferente com o uso de vírgulas, mas há um pequeno detalhe, elas só poderão ser usadas para coisas que nunca aconteceram antes na respectiva vida..
Então é uma oportunidade de reinventar-se e descobrir um pouco de si mesma a cada dia.
Não olhar as coisas com a maneira que fomos ensinados a olhar e sim com nossos próprios olhos.
Não amar do jeito que todos amam e sim como o seu eu achar certo.
Não desistir de coisas, nem deixar que opiniões alheias impeçam de saltar, de voar, de mudar totalmente a vida.
Pois dizem que trabalhamos pra viver, mas infelizmente tendemos a viver só pra trabalhar, só pra consumir, tendemos a viver por obrigação.
E este deveria ser o oitavo pecado, pois 98% do mundo vive por obrigação.
E as pessoas estão conformadas e acomodadas demais pra ousar por algumas vírgulas em suas vidas.
Levamos uma vida de excessos, mas excessos de coisas desnecessárias..
O excesso que a vida precisa não temos, temos o excesso que o dinheiro precisa.
Ser lembrada pelas loucuras que fez, pelas vezes que fez alguém sorrir, por não se deixar levar pela multidão, por sair dançando pelas ruas e abraçando estranhos, seria mais interessante..
Pode-se as vezes acrescentar algumas interrogações também, pois com elas sua mente será forçada a achar respostas e quando não encontrar ira a procura e com isso vai descobrir não o que queria, mas o que nem imaginava descobrir.
Aprender coisas novas, conhecer pessoas, apagar tudo e começar de novo, ser mais criança, sair de dentro de si, para ver claramente como é ser você..
Não é difícil, basta um pouco de coragem, com vontade e criatividade e as virgulas automaticamente se colocarão em cada capitulo da história.
Nascemos em um mundo já formado, mas não existe nenhuma lei que proíba criar um mundo novo particular.






"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador