segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Solte seus demônios , a noite chegou.



Beba com eles a madrugada
Mergulhe a cara na privada
Com sua ressaca de cachaça barata.

Roubou o cigarro do seu avô?
Vai impressionar seus amigos babacas?
Ele engoliu a fumaça
Estúpido, não sabe o que faz.

-Vai experimenta , é bom!
Ele não pôde dizer "não".
Chegou em casa fora de si
Tirou a vida de quem amava.

Logo seus "amigos" tiraram a sua
Ele os devia
O dinheiro sujo da pedra barata.

Grande idiota
Ele não pôde dizer "não"..
agora dorme em um caixão!

primavera quente..

Repleta de borboletas coloridas.
Pessoas estressadas , mas ainda vivas.
Trabalhos pesados, dias curtos, porém mais claros.
Amores passados , esquecidos pelo tempo.
Chuva fraca, fina, refresca, esfria , a ardente paixão da ingênua menina.
Um álcool forte para derruba-lo , para fazê-lo esquece-la por um dia.
Uma ressaca escura , vazia , o trouxe de volta a vida.
Um carro sem freios na rodovia, não conseguia parar, mas o engarrafamento não iria cessar.
O toca fitas se calou, sua música acabou , ele aperta o play outra vez.
Ela está trancada no quarto, sozinha, chora baixo, encolhida, imcompreendida, ferida.
Um grito ecoa pela rua , todos fingem não ouvir, um limite foi ultrapassado , seu relógio está
quebrado, ele já não pode fugir.
Sua memória falhou , não consegue mais projetar o rosto dela em sua mente.
O espelho está quebrado.
Seu azar está traçado.
Um destino foi trocado , por um emprego melhor.
Seus versos fracos, complicados, não precisam ter sentido.
Seu tênis sujo , molhado, fez uma nova parada em frente a casa dela.
Olhos surpresos observaram-no pela janela
Uma lágrima caiu dos olhos de cada um
A chuva fina começou, ela então se misturou as suas lágrimas cansadas.
Ela já não aguentava , foi correndo se abrigar nos braços dele
Que a beijou , como a tempos desejava.
Nenhuma palavra foi trocada.
Já não era preciso..

o que vêem?

O que eu acredito, o que eu vejo, o que eu vivo, o que eu penso , o que eu sinto , o que eu sonho.
O acaso, o marcado, o improvisado, o esquecido.
O hoje , o ontem , o amanhã.
Um pouco de mim, de você, de nós , deles.
Uma saudade, uma revolta, um consolo, uma alegria, uma lembrança, uma prosa.
Um objeto, uma pessoa , uma estação, uma condição.
Um segredo, uma verdade, uma mentira, uma vaidade.
Uma dança , uma música, um silêncio, uma angústia.
Uma raça, uma religião, uma opção, uma cor.
Muitos , um , iguais, diferentes, complicados, envolventes , agitados seres humanos.
Pessoas, famílias, estados , nações..
Olhem-se no espelho e digam-me , o que vêem?

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

borboletas ..

É até meio estranho de explicar , pode não significar nada , pode ser uma simples besteira pra muitos , que não ligam pra pequenos detalhes "toscos'' de uma pessoa com uma imaginação fértil. Maas sei lá , até o ano passado eu raramente via uma borboleta , podia contar nos dedos quantas eu tinha visto em um ano , e todas de longe .
Dizem que elas vem com a estação , pode ser que eu nunca tivesse prestado atenção.
Esse ano tá sendo diferente , não sei se é o aquecimento global , sei lá , não sou especialista no assunto , mas simplesmente eu vejo no mínimo uma por dia .
E olha que eu não procuro , eu juro , basta me distrair um pouco e olhar pra um nada , e lá tem uma.
No inicio do ano eu tava trabalhando , um dia quente , tava na sala , entediada , e uma entrou pela janela .. se debatia na parede , tentava sair e não conseguia , então eu fui ajudá-la.
Outro dia entrou uma no meu quarto.
Certa vez estava na parada com a minha amiga , o ônibus dela se aproximava , vi uma borboleta machucada no chão , peguei-a na mão , coloquei em uma árvore, ela então saiu voando.
Nas férias de julho fui visitar meu pai , ele me pediu pra ir ao mercado com ele , quando estávamos saindo tinha uma branca no quintal , nos acompanhou até o mercado e na volta.
Todas as manhãs , quando estou indo pra escola , lá está uma em meu caminho.
Ontem eu estava brincando com meu cachorro e uma estava machucada , coloquei ela em um lugar seguro e sai , hoje cedo quando acordei ela estava na porta da minha casa , e enquanto almoçava , vi meu cachorro tentando pega-la.
Era a mesma , eu não entendi como , pois ela estava machucada e agora voava perfeitamente.
Peguei ela e a deixei na ponta dos meus dedos , e ela não saia dali.
Um vento mais forte soprou , ela então voou , um vôo alto , delicado , colorido.
A minha mãe acha uma besteira , minha amiga diz que eu procuro-as , ninguém liga pra essa minha sina com as borboletas , maas não sei explicar como , acho que é uma superstição minha , que entregaram por engano na casa errada , pois eu nunca liguei pra essas coisas , mas parece que a cada vez que as vejo , fico mais tranquila , parece que algo bom vai acontecer , me dá a sensação de que o dia vai ser bom , de que tudo vai dar certo , e olha que não sou lá uma pessoa otimista.
Brancas , coloridas, de todas as cores , tamanhos , todos os dias recebo a visita de uma borboleta.
Não sei se tem um significado isso tudo , e sinceramente não estou lá muito preocupada em procurar um , só de ter a presença delas me dando um pouco de esperança dia-a-dia .
Parece que as pessoas procuram uma coisa que as dê esperança , que as dê segurança , que as façam acreditar que as coisas possam dar certo , que as façam um pouco mais feliz.
Eu posso não ter procurado por isso , mas eu aceitei , eu até confesso que eu tento pôr nelas a certeza de que o dia vai ser bom ,e com isso eu faço com que ele seja , pois no meu inconsciente são elas que estão fazendo.
Eu sei que é uma besteira , sei que praticamente ninguém vai lê isso , e que não vai acrescenta em nada , nem mesmo fazer sentido , maas eu realmente precisava escrever isso , compartilhar com alguém , nem que seja comigo mesma , ler e reler esse texto , pra me fazer entender que a vida pode ser um pouco mais que simplesmente normal , do que simplesmente a cidade cinza , do que simplesmente dinheiro, trabalho , escola, obrigações e culpas .
A minha superstição pode ser boba , eu mesma acho , maas ela colori um pouco a minha vida .

domingo, 22 de novembro de 2009

milagres acontecem.





Tudo aconteceu a uns anos atrás.
Todos sabem da minha paixão por animais, mas aquele pequeno vira-lata, era diferente.Ocorreu quando eu morava na casa da minha vó.O que aconteceu? De alguma maneira queriam tirá-lo de mim. O nome dele é Billi , nenhum outro nome se encaixaria melhor.
Quando eu era pequena, uns sete anos, passava o verão com minha avó na praia . A vizinha tinhas uns cinco cachorros brancos , enormes, e o Billi ( que naquela época era chamado de "pretinho") , era a "ovelha negra" da família.Ele era diferente em muitos aspectos dos outros, muito pequeno, preto com marrom e uma lista branca perto do pescoço que lembra uma lua minguante, um baixinho nervozo e invocado, implicava com os outros cachorros , sem se importar com o tamanho, corria atrás dos cavalos, só tinha medo de uma coisa .. a água , odiava tomar banho. A dona dele era amiga do meu tio , queria livrar-se do cão , e deu-o a ele.Ele nem dava atenção pro animal , já eu me identifiquei com ele , foi digamos que "amor a primeira vista'' , andava com ele pra cima e pra baixo, em todos os cantos, tornou-se meu melhor amigo.
Chegou o dia de ir embora, mas eu não podia deixá-lo ali. Malas prontas , tudo no carro , tinha-mos que ir, minha vó foi abrir o portão , eu me sentei no banco de trás , peguei o Billi e escondi-o enrolado em um cobertor.Minha vó só percebeu a presença dele no meio da viajem , quando já não tinha como voltar.
Os anos foram se passando , eu crescendo e o Billi acompanhando tudo ali ao meu lado , sempre com a mesmo carinha , do mesmo tamanho..
Cada pessoa que cruzava em seu caminho , se encantava com a pureza do animal. Me protegia de tudo.Mas certo dia , o pelo dele começou a cair, sua pele começou a criar feridas, ele começou a ficar estranho..
O Billi já tinha passado por tantas coisas, pego tantas doenças, até depressão , não seria essa doença que poria fim a sua vida.O levamos ao veterinário, e todos nos diziam a mesma coisa :
_ É uma doença crônica, hereditária,ele vai perder todo pelo, criar feridas , não vai durar muito tempo , ainda não foi descuberta uma cura pra isso , não tem jeito ," é melhor sacrificar"..
Eu ficava estremamente indignada ao ouvir um veterinário , que passou anos estudando pra cuidar de animais , que ao meu ver era pra gostar deles, e fazer o possível pra que VIVAM , dizendo que "é melhor sacrificar'' , eu não quero o que é melhor , eu não quero o que é fácil , eu quero o Billi vivo , durante muuuitos e muuitos anos ainda , e não é por que me dizem que é "melhor sacrificar" que eu vou dar ouvidos a eles , e fazer o que me dizem , pois nem sempre estão certos , são meros humanos , vou achar alguém que me de esperanças ..
Resultado , o levamos em todos os veterinários , até um nos arranjar uma outra alternativa, que foi um batalhão de remédio por dia , spray , vacinas , todas as dozes com horários certos pra serem dadas. O tratamento foi caro , a luta pra dar remédios todo o dia , ele já não podia sair pra rua , foi um tratamento longo , cansativo , maas a nossa melhor recompensa era ter ele ali com a gente , abanando o rabo sempre que nos via , feliz , isso era o que importava.
Eu realmente não sei explicar como , já que nem a ciência e nem os veterinários conseguem ,
maas o pêlo do Billi cresceu novamente , as feridas cicatrizaram , ele se curou.
Nem sempre os livros nos dizem o melhor a fazer. Pode-se dizer que o amor o curou?
Hoje ele têm 12 anos , mora comigo , com a minha mãe , e o iago (nosso outro cachorro) .
Agora se me perguntam se acredito em milagres? , eu respondo:
-Acontecem a todo momento, basta saber enxergar.





domingo, 15 de novembro de 2009

Viva hoje.


O ditado da modernidade é : "tempo é dinheiro" , antigamente não sabemos qual era , nem se havia um ditado , mas certamente não era este.Não é que a anos atrás não se importavam com o dinheiro, este papel a muito tempo tira os seres humanos do sério, mas não eram tão ambiciosos , ou melhor, gananciosos.Não vamos dizer que os "homens" de hoje em dia não vivem simplismente , isto seria uma injustiça , as mulheres conseguiram sua independência nesta área também , talvez até antes , pois bem , diremos então que os seres humanos de hoje não sabem viver.
No presente , o passado sempre parece acolhedor, a intensidade das coisas parece menor,a vida torna-se inconcientemente mais leve.Com o passar do tempo as coisas tornam-se mais pesadas, mais rápidas.As coisas realmente importantes perdem seu devido valor , como a família , por exemplo , que no passado era tão grande, tão sagrada, hoje se separa facilmente.Trabalhava-se para sustentar o lar, o dinheiro não era algo tão importante, era o complemento.Um amor não era trocado por um emprego, as pessoas não casavam por dinheiro, não se vendiam, não humilhavam-se, não mentiam por uns trocados.
O hoje é sempre o mais difícil, o passado já se viveu , do futuro ninguém sabe, resta-nos somente o presente.O presente que hojé é corrido e concorrido, se preparam anos e anos para um emprego , depois de consegui-lo , passam o resto de suas vidas dando o máximo de si , ou melhor a coisa mais preciosa que tem , suas vidas a ele.Dinheiro é o motivo de tudo, ou de boa parte. Casamentos,mentiras,roubos,violência,depressão, as pessoas chegam aos seus limites por ele.
Esquecem-se de tudo que faz sentido, da simplicidade da vida, da família , da saúde , dos amores, da paz que o dinheiro não nos traz.Pessoas mais estressadas, mais deprimidas, mais cançadas, que vivem menos e sorriem menos ainda.
Peçamos então um BASTA!Umas boas férias destas vidas agitadas.Acalmar-se um pouco, repensar os valores , o grau de importância de cada coisa.Não quer dizer que devemos largar nossos empregos, nem rasgar o dinheiro, pedimos um pouco de calma, um pouco mais de VIDA , senão oque esperar do amanhã?.

"Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?"

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

nós questionamos.



Sempre com perguntas prontas.
Sempre indecisos,desconfiados,inseguros, revoltados.
Suas frases acabam,iniciam-se , com por quês ..
Porque a vida é assim?
Hoje chove, por que?
Por que ele não gosta de mim ? ..
Mas a resposta pra tantas perguntas , não é
encontrada.
A vida não é explicada, e nem será.
Viver a questionar, não parece fazer sentido.
Talvez o rumo que as coisas tomam possa desagrada-lá no momento
mas espere por um tempo , no futuro verá que foi o melhor .
Talvez as coisas pareçam injustas , imundas, sem nexo algum.
Mas um dia terão de mudar.
Parece cansativo cair e levar a todo momento.
A esquina dos tormentos fica perto de casa.
Não sei por que as coisas acontecem , da maneira que acontecem.
Não sei por que insisto em gostar da pessoa errada.
Não sei por que a gente briga tanto com quem gosta.
Não sei por que todos dizem que é amor , quando todos dizem não saber oque ele é.
Não sei o por que de nada.
Não sei se tudo que vejo realmente existe.
Não sei se sou alegre ou triste.
Não nasci pra entender, eu nasci é pra viver.
Estou cansada de questionar ,de nada vai adiantar.
O tempo vai se encarregar de satisfazer os meus por quês.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Sou errada , sou errante

Quando nasci chorei um instante
Sou errada , sou errante
Quando te vi fiquei ofegante.
Outrora a aurora tirou-me pra dançar
Fui com ela bailar, despedindo-me do anoitecer
As estrelas perdiam o brilho
O sol acordava timido com a minha canção
acompanhada de um velho violão.

As notas flutuavam sob o ar
o perfume das rosas veio se juntar
com o doce cheiro de praia
As pedras encharcadas pelas ondas do mar
passarinhos pousavam lá

Pulei as sete ondas
e pedi pro meu amor me encontrar

Adormeci sobre aquela areia fina
a noite veio me proteger
embalar meus sonhos
fazer-me crescer.
Não voltarei mais pra casa
Achei minha morada
na beira da praia.







"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador