segunda-feira, 30 de novembro de 2009

primavera quente..

Repleta de borboletas coloridas.
Pessoas estressadas , mas ainda vivas.
Trabalhos pesados, dias curtos, porém mais claros.
Amores passados , esquecidos pelo tempo.
Chuva fraca, fina, refresca, esfria , a ardente paixão da ingênua menina.
Um álcool forte para derruba-lo , para fazê-lo esquece-la por um dia.
Uma ressaca escura , vazia , o trouxe de volta a vida.
Um carro sem freios na rodovia, não conseguia parar, mas o engarrafamento não iria cessar.
O toca fitas se calou, sua música acabou , ele aperta o play outra vez.
Ela está trancada no quarto, sozinha, chora baixo, encolhida, imcompreendida, ferida.
Um grito ecoa pela rua , todos fingem não ouvir, um limite foi ultrapassado , seu relógio está
quebrado, ele já não pode fugir.
Sua memória falhou , não consegue mais projetar o rosto dela em sua mente.
O espelho está quebrado.
Seu azar está traçado.
Um destino foi trocado , por um emprego melhor.
Seus versos fracos, complicados, não precisam ter sentido.
Seu tênis sujo , molhado, fez uma nova parada em frente a casa dela.
Olhos surpresos observaram-no pela janela
Uma lágrima caiu dos olhos de cada um
A chuva fina começou, ela então se misturou as suas lágrimas cansadas.
Ela já não aguentava , foi correndo se abrigar nos braços dele
Que a beijou , como a tempos desejava.
Nenhuma palavra foi trocada.
Já não era preciso..

Nenhum comentário:

Postar um comentário







"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador