domingo, 28 de fevereiro de 2010

uma noite,uma rua,uma situação





Eu não tinha mais nenhum motivo pra sorrir,mas mesmo assim sorria.
Eu não tinha uma razão ,ou permissão para sair, mesmo assim sai.
Eu queria esquecer dos meus “ontens” nada agradáveis.
Eu queria esquecer da minha vida, das minhas obrigações e principalmente dos intermináveis problemas que são como policiais armados golpeando o ladrão.
Amigos , estes sim tem o poder de me fazer esquecer, mesmo que somente em segundos, mesmo que por distração,instantes mágicos, instantes perdidos em algum lugar do tempo.
Mandei longe os problemas, esqueci as obrigações, afastei-me um pouco daquela vida.
Estava lá, sentada em uma rua qualquer, cantando , sorrindo, conversando.
Apareceu então, um homem mal vestido, com seu saco de latas,se agachou em minha frente e começou a falar.
De principio o receio,mas quis ouvir o que ele tinha a dizer.
Ele morava em caxias, tinha uma vida boa, não passava trabalho, mas aos poucos foi perdendo tudo que tinha, foi conhecendo o lado mais obscuro da vida, sentia o cheiro da miséria.
Veio tentar a vida aqui, disseram que teria mais oportunidades.
Sua família ficou lá, ele veio lutar para alimenta-los.
Mas as pessoas viraram a cara, as pessoas não quiseram saber de seus problemas, de sua luta,de seu sofrer.
Em todo lugar que ia era enxotado feito um cão perdido.
Olhavam-no dos pés a cabeça, com olhos superiores e desprezíveis.
Não dariam oportunidade pra um maltrapilho.
Não escutavam alguém que não tinha sapatos, nem um teto.
Mas em momento algum eu senti mentira e maldade em seus olhos, em momento algum ele foi indelicado, falou mal das pessoas , nem mesmo da vida.
Em momento algum ele se queixou.
Ele me disse que a palavra necessidade falou mais alto que a vergonha.
Me disse que nunca se imaginou pedindo nada pra ninguém, mas agora estava ali, pelo seu filho, pela sua família.
A vida surpreende,o destino muda, o amanhã sempre será incerto.
Minha amiga dizia que era mentira , não devia perder meu tempo escutando suas bobagens.
Mas meu coração acreditou nas palavras daquele pobre homem, seus olhos eram sofridos , ele cheirava a luta, ele esbanjava coragem e vontade de viver.
Eu acreditei naquele olhar, e desejei , do fundo da minha alma, uma oportunidade a ele, uma nova chance.
Tudo que tinha era umas moedas, mas ele não se importou , pra ele era muito.
Acreditar nele, escuta-lo, e trata-lo como um ser humano, importou.
Eu não tinha muito pra ajudar, mas ajudei também com a minha atenção, com aquele meu lado humano que não permitiu escorraçar uma pessoa só por não ter dinheiro.
Pois a vida prega peças, assim como pregou nele.
Nunca se sabe quem será o próximo que estará ali, pedindo moedas.
Por maior que seja o problema ao meu ver, nunca é tão grande realmente, sempre tem uma solução perdida em algum canto.
As pessoas são iguais, mesmo que com pensamentos, com físicos, e contas bancárias diferentes.
Somos todos seres humanos, nenhum é melhor, nenhum é indigno de nada, comece a ser humano também, não deixe esse coração virar pedra.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

ela



E outra vez ela se perdeu em pensamentos.
Outra vez fixou seus olhos em um ponto qualquer e mergulhou em um mar de lembranças estranhas e melancólicas.
Seu rosto mantinha formas serenas e um sorriso distante, mas seu olhar este sim trasbordava incertezas e fatos tristes.
Quem a via na rua, assim de passagem, não podia se aproximar em imaginação, da estranha e atordoada vida que ela transportava pelas ruas vazias e cinzentas da cidade grande.
Ela era nova , era o que a identidade e o povo dizia.
Mas sua alma aparentava ganhar cem anos por dia.
Não transparecia, mas tinha medo das pessoas,dos sentimentos e principalmente de sua aparentemente eterna solidão.
Diziam que ela era fria, mas seu coração fervia, não enxergavam a paixão que ela tinha no coração, queria abraçar, queria beijar, queria apertar a mão de todos e dizer como eram especiais e importavam, mas seu medo impedia.
Medo das reações, medo de rejeições, medo de pessoas vazias, medo de ser oficialmente condenada a solidão.
Ela tentava entender por que passava por tantas provas de coragem, resistência e perseverança.
Tentava entender por que sempre ao se levantar , caia novamente.
Pensava que talvez , seria essa a conta atrasada de uma vida passada.
Não fazia questão de expor seus receios, seus pesadelos reais e diários, aos outros.
Não queria, não precisava, não suportaria um olhar , ou uma mera palavra de pena, um mero comentário sem nexo de preocupação.
Sabia muito bem que os "conte comigo" morriam ao mesmo tempo que ganhavam vida em forma de voz.Inconscientemente , quem dizia, não tinha a mínima intenção de ajudar.
Não precisou crescer muito para perceber, que cairia inúmeras vezes e ninguém além dela mesma, juntaria forças pra levantá-la.
Ninguém guardaria melhor seus segredos, ninguém a consolaria melhor, ninguém lutaria tanto por ela, ninguém a daria esperanças , além daquela pessoa a quem ela pode chamar "eu".
Ela logo aprendeu a não esperar mais que um "nada" dos outros, aprendeu a não conhecer a palavra "expectativa", aprendeu a cuidar de si.
Nunca esperou que os outros fizessem algo por ela, pois sabia que o nome de cada um vem sempre em primeiro lugar.
Aprendeu a ignorar a indiferença, a inveja e o egoísmo.
Aprendeu a separar sua mente, deixa-la intacta, a não deixar que os problemas cheguem até ela e assumam o controle.
Ela me disse que um cachorro é mais fiel e amigo que todos os homens.
Em plena multidão ela sorri, faz graças, conta piadas, interage.
Ninguém pode imaginar, ninguém deve perguntar, ninguém ousa conhecer, a verdadeira pessoa que mora ali, a verdadeira luta , o verdadeiro "projeto de vida".
Quais são seus planos pro futuro?
Ela não respondeu o que sua mente queria, a resposta só elas sabem, a resposta guardou pra si.
Mas agora te digo aqui, ela quer ser feliz, não importa onde,quando,ela não quer ficar sozinha, ela não quer deixar a vida destruir seus doces sonhos coloridos.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

amor

Os sentimentos, eles tem o prazer de surpreender. Você pensa se conhecer, pensa saber como vai agir, o que vai sentir, o que vai pensar, pensa saber como será o segundo seguinte.., mas se engana profundamente. Uns acham frustrante não saber o que vai se passar dentro deles, não saber controlar-se, não saber decodificar a si mesmo. Então como é que podemos explicar a nós mesmos o amor, se não temos explicações pro que sentimos? Está tudo bem, mas o cheiro dele enfeitiça, você perde o controle de si ao vê-lo em meio a multidão, basta encará-la nos olhos e já tem seu coração, você diz que não , luta constantemente com aquela voz intrometida e ousada que vive ai dentro e grita com você , te dita as ordens, te domina. Como pode gostar justo do canalha, aquele que te engana , aquele que não ama, como pode se apaixonar por quem não quer mais que uma noite de diversão? Falar de amor hoje em dia soa brega, ultrapassado, vem logo a palavra "carência " como companhia. Incrível como as pessoas tem a habilidade de taxar coisas que nem mesmo conhecem, coisas que não sabem explicar. Fogem daquilo que os domina , os intimida, os deixa com medo, . O amor é ridicularizado nos tempos de hoje, será extinto se continuarmos com joguinhos, se continuarmos a ignorar o que sentimos, se continuarmos com o medo de se entregar, medo de se ferir, medo de ser como a decepção passada. Sofrer uma vez por ele já basta?! Não existe uma fórmula secreta para o amor, não existe a pessoa perfeita, contos de fadas só na imaginação. As coisas não são como imaginamos , nem como queremos, não podemos simplismente ignorar o que sentimos, fazer de conta que não é nada e sair todo dia com alguém diferente pra não se "apegar". Me disseram que o amor é perigoso, que tenho que me manter o mais longe dele possível, que ele faz a cabeça das pessoas, que ele só faz sofrer. Mas não, estão errados! não vão me tirar o direito de amar, não vão me fazer ter medo dele. O amor não precisa estar relacionado com ódio e sofrimento. O amor pode ser a alegria, o carinho, o companheirismo, amizade, as confidências. As decepções não são culpa do amor e sim das expectativas que criamos em cima das pessoas. Para amar não se pode exigir nada, esperar nada, cobrar nada, para amar deve-se simplismente amar, a cada segundo , a cada momento, até onde o amor durar.
Pare de ficar "procurando a pessoa certa"!
Não existe a pessoa certa ou errada.
Existem pessoas que passam em nossa vida e nos despertam sentimentos bonitos, pessoas que dividem suas vidas, pessoas com quem trocamos carinhos e atenções, pessoas que nos fazem suspirar, não se deve questionar por que elas estão ali , nem quando elas vão embora, deve-se apenas aproveitar ao máximo cada segundo junto delas.
Umas ficam pra sempre, outras só estão de passagem, aproveite o momento, troque sentimentos.

Pessoas Humanas


As vezes a gente fica tão cego com tanta maldade no mundo , que já não consegue enxergar a bondade.
Presenciamos tanto egoísmo e raiva, tanta indiferença por parte das pessoas, que chegamos a pensar que talvez todos possam ser assim, começamos a achar normal a atitude destas pessoas, generalizar, todos tem seus problemas, ninguém vai perder seu tempo pra chorar minhas lágrimas e se esforçar pra me ver sorrir.
Ninguém vai querer perder seu tempo conhecendo outro,confortando o outro , quando também precisa de ajuda.
Pensamos assim pois já agimos assim , e é natural pensarmos que outras pessoas terão a mesma atitude, mas não podemos esquecer que o assunto em pauta são "pessoas" e não objetos, não robôs programáveis , pessoas tem sentimentos, pessoas são diferentes, pessoas são indecifráveis e surpreendem.
É mais fácil esperar o pior dos outros, pois se esperarmos o melhor , provavelmente a decepção será encontrada..
Falta fé nas pessoas, falta esperança.
E eu tive a oportunidade de conhecer uma dessas pessoas , que mesmo na maior escuridão dá a sua lanterna pra iluminar o caminho do outro.
Aquela pessoa que mesmo de longe , ao olha-la , senti uma paz interior inexplicável.
Não sabia nada de sua vida, ela não tinha uma boa aparência, nem se vestia bem , não estava em boas condições de saúde, nem em um local apropriado, sua vida não é nada fácil, mas ela não se queixava , nem ninguém sabia disso, ela só sorria..
Fiquei observando por um tempo.
Estava lá em um hospital, por motivos que prefiro não mencionar, mas parecia mais uma enfermeira do que uma paciente.
Conhecia todos, conversava com todos, ajudava todos, chorava as feridas de todos, abraçava como se fossem suas e sentia com o coração.
Imagino como aquelas pessoas se sentiam, estavam lá contra a vontade, presas sem saberem o por que, não roubaram , não mataram, não enganaram ninguém, mas nasceram com uma doença que as tira de si, uma doença que faz com que percam o controle dos pensamentos e das ações.
Não é todo psiquiatra, psicólogo, não é qualquer um que consegue entrar na mente destas pessoas, que consegue conversar e entender seus problemas, que consegue toca-las.
Uma pessoa que já passou e ainda passa por isso , tem uma facilidade e sensibilidade maior com o próximo.
Sabe que a ferida dói, sabe como é difícil, por isso entende o sofrimento, por isso consegue sentir.
Ela veio em minha direção, não me conhecia, não sabia nada de mim, mas me pediu um abraço, beijou meu rosto.
Tive a oportunidade de saber um pouco de sua vida, um pouco do por que ela estava ali.
E percebi que o maior motivo por que cada um se encontrava ali era na realidade as famílias.
Percebi o quanto a base familiar influencia na vida de cada um.
De nada adianta ter dinheiro, se em casa a convivência é insuportável, se na família ninguém se importa com ninguém, se não tem amor.
A falta desse amor é profunda, pode acompanhar pelo resto da vida.
Aquela mulher não fazia mal a ninguém , mas a sua bondade despertava inveja, e a inveja não parou até deixa-la ali.
Ela não amaldiçoava sua família, tinha pena por pensarem de forma tão egoísta.
Mas agora ela tinha outra família, ela se via mãe de cada uma que estava ao seu lado, ela cuidava delas como se fossem suas filhas, um abraço dela me encheu de esperança.
Ainda existe bondade no mundo, mesmo que em menor número, existe e são essas pessoas que te animam a continuar, a acreditar, essas pessoas te mostram que o mundo não é tão ruim, te fazem olhar o que há de bonito nele, elas te dão a pouca luz que resta.






"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador