quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Não faz sentido

O sol das seis deu um brilho alaranjado a árvore, já sem galhos , do meu quintal.
O meu cão está agitado, me parece um sinal.
Tanta coisa a fazer , o tempo parece grande , mas em um instante não o tenho mais.
Estava tudo ali , ao meu alcance.
Agora não consigo achar.
Por que esta porta se trancou?
Já não tenho forças pra chamar.
Meus braços parecem pesados, as pernas cançadas.
Jogaste tua culpa em mim..
O que te fiz eu?
Tenho ao menos o direito de saber?
È engraçado, ele joga a pedra e o acusa de feri-lo.
Pobre menino.
Eu que estou sozinha e ainda assim não ouso lhe chamar.
O que farás quando eu já não estiver aqui?
Como passarás o teu tempo?
As letras a cada dia me parecem menores , as soluções também..
As coisas perdem o sentido , eu só procuro um abrigo.
Um turbilhão de pensamentos , quando não se quer pensar em nada.
Será que tenho um anjo da guarda?
O que se passa aqui dentro.. , somente eu sei.
Mas agora eu já nem sei , o que se passa dentro de mim.

Amadores

Não sabem o que fazem
Querem culpa-lá por seus erros?
A vida?
Ela não os obrigou a puxar o gatilho.
Não os induziu a pegar aquilo.
Não os incentivou a beber o desconhecido
Quem mandou acreditar noque le falavam?
Havia um contrato?
Um caso confidencial
Pode fingir passar mal
Não sinto pena de você
Pobre coitado
Ingênuo e ordinário
O que o diferencia dos demais?
Achas que vai ter sua paz?
Colhes agora tudo o que plantou.

Se o mentiram ou não , eu não sei
Mas agora pouco importa
Não venha bater em minha porta
Quando a fria madrugada chegar

Hoje eu receio em te abrigar
Vá esconder-te em outro lugar
Se pecaste ou não
Por que devo saber?

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Quando sair , feche a porta.



Não olhe pra trás
Siga em paz

Não perca seu tempo
pedindo a benção
Ela não vai te ouvir

Um cruzamento
Congestionado
Muita fumaça se vê ali

Não arranje um namorado
Ele só vai te ferir

Só vai e vem meu amigo
Essa rua tem um fim
O garoto pede esmola
Pra coca cola
Na rua aprendeu
O que não devia
Caiu um botão do seu casaco
Seu perfume barato
Ainda o posso sentir

É engraçado
O seu retrato
Não me deixa dormir

O céu está branco
O padre pálido
-O que essa moça faz aqui?
Eu bem queria responder
Mas vou correr
Vou ver tv
O jornal vai falar da amiga
que perdi..

Matei uma formiga no meu quarto
Será que um pecado eu cometi?
Mas diante dos seus atos , não
sinto-me a pecadora aqui

Boa noite , a estrela disse
Dorme, ainda que triste
Amanhã não vais mais ouvir-me.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Hoje


Tudo ficará bem?
Eu não sei.
Um dia ouvi dizer.
Hoje já não posso crer.


A lembrança da perda
Congelou seu coração.
O rapaz costumava tocar violão
Hoje já não faz questão

Ela era alegre
Aparentemente feliz
Tiveram uma longa conversa
Hoje ela não sorri

A distância tornou-se inevitável
O olhar triste
O dia pesado
Hoje eles não dormem

Não tem sonhos
Somente pesadelos
O relógio parece estragado
Hoje o dia não tem fim

Corações despedaçados
Promessas em vão
Lembranças passadas
Hoje é tudo recordação

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Com um doce beijo ela o deixou

Poderia ter descutido e as pazes fazer novamente.
Mas estava cançada , a relação não tinha mais sentido, cor, amor.
Ele poderia trai-la e continuar anos assim, ao invés disso ficou com aquele beijo em seus lábios, sem reação, queria ela agora , mais do que nunca.
A anos ele havia dado as costas , pois sabia que ela estava ali atrás, hoje ele virou-se
e tudo que viu foi ela , fugindo a seu olhar , com sua mochila , indo embora.
Usou toda a voz, que a tempos não dirigia a ela, pra gritar , chamar, chorar, tudo em vão.
Lembrou-se que um dia ela disse : -Tudo um dia acaba..
Ele não prestou atenção , estava lendo o jornal.
A cada dia ele acabava um pouco com o amor que ela tinha.
Cada palavra sua a deixava sem chão, cada insulto, ela já não sentia-se uma mulher.
Sentia-se uma escrava , não era dona de seus sonhos, suas vontades, de sua vida.
Esta manhã ela acordou , vestiu uma roupa qualquer, enfiou na mochila o pouco que
precisava, pegou o dinheiro em baixo da cama .
Naquele instante a chuva começou.
Ele chegou, ela deu-lhe um doce beijo e partiu.
Não disse nem uma palavra, e se foi.








"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador