terça-feira, 31 de janeiro de 2012

on

 Sabe eu já crucifiquei mais de mil, por diversas vezes eu julgo mesmo, acho que sei ler mentes, penso saber exatamente o "tipo" do fulano, como ele vai agir, a culpa toda que ele tem..
Nossa, já cansei de vestir de monstro pessoas que eu nem mesmo conhecia, de sair correndo sem responder o seu "Olá!", temendo ser devorada.
Mas de repente eu me sinto mal, o monstro eu vejo no espelho e me apavoro ao perceber como meu poder de afastar pessoas com essa minha cara malvada é eficaz.
O problema são aquelas madrugadas que o tempo voa e o sono não vem, eu não sei como puxar um assunto e nem quero de fato, eu queria mesmo era entender nessas poucas horas agoniantes se existe ainda alguém que possa entender essa minha mente confusa, sem me confundir mais ainda.
Um dia eu cheguei a pensar que nesse mundo tão grande e azul, poderia haver alguém feito exatamente pra mim, que gostasse das mesmas coisas, que partilhasse de meus pensamentos, mas ai eu fui vivendo e percebendo que a cada dia tudo se complica um pouco mais, por que temos esse dom, dar nós em cordas lisas, derrubar árvores no congestionamento e ficar o dia todo irritado, buzinando e fritando, sem enxergar, pois não queremos enxergar.
As vezes eu entro em uma luta difícil, fico entre continuar acreditando que as pessoas tem um bom coração, que nem tudo é tão sujo ou simplesmente descrer de todos e viver indiferente..
A segunda opção me tenta, pois a indiferença muitas vezes toma conta de mim, mas eu tenho um lado muito carne e coração, esse lado me diz que vale a pena lutar, que por mais que obstáculos e ingratidão cruzem comigo diariamente, a cada dia eu levanto um pouco mais forte e as vezes eu me pego rindo sozinha na rua, no caminho pro trabalho.
Alguns fardos deixados com muita dor pelo caminho, te deixam bem mais leve e  permitem o parar, olhar novamente no espelho, ver tudo que tem que ser mudado e começar uma faxina interna e externa, no corpo e na alma.
Um recesso sentimental de vez em quando é bem vindo, não se prender, nem desprender, se permitir conhecer, provar da liberdade, provar do mundo.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

seu ir e vir

Me caiu um botão da blusa
seu penteado já acusa
vais sofrer é de paixão

Mas não fiques triste não
a vida é mesmo assim.

Que hei eu de fazer?
Que tu farás?

Vamos aceitar os fatos
sem contestar,
estou cansada de declamar palavras
macias em vão.

A rua me molhou com sua chuva
Cheguei a ameaçar abrir um sorriso
Mas logo lembrei que ninguém vai
me alcançar a toalha  pela porta

Ninguém vai secar meus pingos
Ninguém vai me aquecer quando o frio bater
O sorriso se conteve, deu meia volta e acenou.

Que se dane suas poses
Pro raio com os melodramas
Faça mais silêncio por favor!

Quero escutar minha respiração
Quero esquecer de pensar
Quebre o relógio e me deixe dormir

Dê-me uma caneta e saia daqui!

Eu corri atrás do sorriso
Sequei meus próprios pingos
Me aqueci naquele velho cobertor

A menina não está aqui
Mas ela sabe aonde ir.












"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador