quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

seu ir e vir

Me caiu um botão da blusa
seu penteado já acusa
vais sofrer é de paixão

Mas não fiques triste não
a vida é mesmo assim.

Que hei eu de fazer?
Que tu farás?

Vamos aceitar os fatos
sem contestar,
estou cansada de declamar palavras
macias em vão.

A rua me molhou com sua chuva
Cheguei a ameaçar abrir um sorriso
Mas logo lembrei que ninguém vai
me alcançar a toalha  pela porta

Ninguém vai secar meus pingos
Ninguém vai me aquecer quando o frio bater
O sorriso se conteve, deu meia volta e acenou.

Que se dane suas poses
Pro raio com os melodramas
Faça mais silêncio por favor!

Quero escutar minha respiração
Quero esquecer de pensar
Quebre o relógio e me deixe dormir

Dê-me uma caneta e saia daqui!

Eu corri atrás do sorriso
Sequei meus próprios pingos
Me aqueci naquele velho cobertor

A menina não está aqui
Mas ela sabe aonde ir.






Nenhum comentário:

Postar um comentário







"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador