quinta-feira, 30 de setembro de 2010

como vai indo? isso importa?..

Não é necessário dedicar muito tempo, nem muita atenção, para perceber que as pessoas não tem levado nada a sério..

Por que a política é tão chata e não procuramos nos informar um pouco mais?
Por que uma propaganda direcionada a um público alvo, simulando o que seus olhos querem ver, acabam por decidir o futuro do país?
Por que deixar a sorte decidir o futuro de seus filhos, seu presente e o equilíbrio do mundo?
Talvez seja por nos contentarmos com pouco, com o “eu finjo que faço, você finge que ouve, todos fingimos que as coisas estão bem” e deixa tudo de lado, um dia alguém concerta, quando não houver mais solução, o problema não será mais nosso..
Cobramos muito do mundo, deixamos para culpar a qualquer outro, nunca a nós mesmos..
É o mundo que está um caos e precisa mudar para que possamos nele viver?
Ou somos nós que somos extremamente folgados, egoístas, destruidores e imparciais?
Nós somos o problema do mundo.
Não exigimos o melhor de nós mesmos, exigimos o mínimo, não usamos nem a metade de nossos neurônios, não procuramos alternativas para melhorar e salvar aquilo que estragamos, muito pelo contrário, procuramos a camuflagem, somos sim egoístas, manipulados e iludidos por uma vida de conformismo e medo.
Deixamos questões políticas e o nosso dinheiro suado nas mãos de pessoas com condutas questionáveis, muitas vezes eu me sinto um fantoche, sinto que vivo em um circo, assisto a tudo, calada, sorrindo e aplaudindo as palhaçadas das quais paguei para assistir.
As pessoas reclamam sim e muito,.. políticos? “São todos corruptos,não prestam..”
Por que não participam da política então? Por que votam neles? Por que não apresentam propostas e tentativas de ajudar a crescer e melhorar?
Todos se calam..
As pessoas não são ignorantes, são cegas por opção.
O Brasil cresceu muito nestes últimos 4 anos?
Quais foram as grandes melhoras que o PT trouxe?
E agora eu vejo a sucessora cantando vitória e esbanjando aquele sorriso cínico, abraçando a criancinhas da periferia, fingindo se importar e com suas mega propagandas com “atores” de bela aparência, dizendo que continuara na mesma linha do antigo presidente, não querem andar para trás.., estão elegendo uma pessoa com um passado extremamente sujo, que não tem capacidade nem de dar respostas claras em debates, mudando, sempre que perguntada, os assuntos e desconversando.Quão bom foi a outra presidência?
Se informassem-se o mínimo talvez, saberiam que está deixando a presidência com uma enorme divida, o que aconteceu com o dinheiro? Sumiu? O que será que ela fará? Por quanto tempo sanguessugas assumirão o poder?
Por que não dar chance ao novo?
Dar ao Brasil a chance de mudar, a chance de crescer, de ser melhor.
Mulheres, o Brasil precisa de suas mulheres.
O homem é fraco, facilmente influenciável, a mulher tem pulso firme, é sensitiva, compreensiva, inovadora, capaz de executar várias tarefas ao mesmo tempo..
A mídia nos diz como viver, o que pensar, escutar, com o que sonhar.
Basta!
Vamos deixar de ser cegos e egoístas, não votar por votar.
Não escolher um candidato por ser um coitadinho que um dia foi pobre..
Se querem cuidar dos interesses do país eles devem obter conhecimentos, eles devem estudar e por que não um ensino superior?
Eu quero pessoas capazes cuidando do país, não ignorantes.
Se lixeiros devem ter o ensino médio completo, por que não políticos?
Eles ganham mais que médicos, professores, policiais, engenheiros, cientistas,etc..
Para fazer o que?
Por que um trabalhador deve se contentar com um salário mínimo e eles ganham tanto?
Por que jogadores de futebol ganham tanto?
Irônico este mundo, será preciso ter sorte para ter uma vida tranqüila?
A educação aqui não é valorizada, a saúde é extremamente precária, as ruas estão cada vez mais perigosas.
Melhorou muita coisa?
Pois bem, opiniões são próprias, a futilidade impera, o dinheiro manda e o descaso é evidente.
Pensando assim, como o Brasil vai pra frente?.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

são apenas palavras..

As palavras despertam expectativas, ferem, alegram, nos fazem rir e chorar..

A falta delas também.
Porém me cobram palavras, querem simplesmente que eu traduza nelas tudo que eu sinto, não faço isso, não por não querer, mas por não existirem palavras que traduzam o que eu sinto.
Nenhuma consegue decifrar o imenso aperto no meu peito, nenhuma traduz aquele nó amargo na garganta, não consigo expressar qual a força orgulhosa me impede de falar tudo que vem a mente e agir como queria, mas me contenho, faço ironicamente sempre o contrário, ajo como se nada estivesse acontecendo e talvez essa indiferença seja apenas uma proteção e não uma tentativa de ignorar o que se passa a minha volta.
Talvez meras palavras não sejam o bastante para provar.
As palavras são fáceis, sedutoras e mentirosas.
Me recuso a deixá-las tomar conta, mas o que fazer quando a garganta não consegue mais silenciar?
Os dias são compridos, quando se pensa na falta que alguém faz.
Os segundos são eternos, quando conto as horas, quando penso na distância.
Será que tudo isso vale a pena? Será que vamos conseguir?
Eu realmente queria poder decidir isso, eu queria muito mandar no tempo..
Mas não posso, não sei como vai ser o amanhã, não sei o quanto vai mudar.
Mas cada segundo vale a pena, cada hora, cada dia.
E os dias podem ser torturantes, mas o fim sempre chega e com isso diminui um pouco o tempo, diminui esta distância em alguns centímetros, talvez segundos, que seja..
As cicatrizes costumam deixar um vazio receoso, muitas vezes mudam as pessoas e alguns deixam de acreditar.
Não acreditei em nada, por um bom tempo, mas o improvável aconteceu, e mais uma vez as coisas mudaram.
Nada de um milhão de sonhos e mais um de planos, nada de provas, nem de muitas palavras.
Meus olhos diriam tudo que precisa saber, se pudesse entender.
Eu realmente não sei o que é isso, não tem nome, não tem tamanho, não tem cor, mas só nós podemos sentir.
Talvez se entendesse o silêncio saberia, quando me pediu pra ficar, virei pro lado e te abracei e com imenso esforço segurei as lágrimas, talvez saberia quando me perguntou naquela noite a beira da praia, que o meu silêncio dizia um sim angustiado, por saber que não estaria por perto por um bom tempo e a idéia de perder tudo era assustadora.
O que aconteceu afinal?
Sabemos, sim nós sabemos, mas não me pergunte, as palavras são inúteis neste caso.
Talvez entenda um pouco, não preciso dizer muito, o tempo nem sempre ganha..

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

To be..

O idioma inglês usa apenas um verbo para dar significado e ações a ser, estar, ficar, haver, existir..

Uma palavra pequena, minúscula, exprimi milhões de significados.
Defini, muitas vezes, alguém.
Talvez seja esta a verdadeira maneira de tratar um ser.
Apreciá-lo em seu conjunto e não por etapas.

Pois não sou apenas meus olhos, meus pensamentos, ou meu coração..
Não sou meu cabelo, os calos da minha mão, ou meu passado.
Não devo ser analisada e julgada por certas atitudes.
Não sou minha cor, uma religião, um desejo, uma opção.
Não sou rotulavel, nem presa a algo ou alguém.

Eu sou o vento que soprei, as músicas que senti, os sentimentos que despertei..
Sou minhas doces pegadas marcadas na areia e as que virão a seguir..
Sou as lembranças e as idealizações.
Sou o que toco, sou o que ouço, sou o que leio,sonho, cheiro, sinto, vivo.
Sou uma velha fotografia perdida, um armário bagunçado, sou a criança que brincou de pega-pega e caiu nas pedras.
Sou as palavras, sou a escrita, sou a caneta e o papel.
Sou minhas cicatrizes, meu sabores, meus amigos, minha família, meus cachorros, meus amores.
Sou o olhar perdido, os devaneios, as teimosias, os defeitos.
Sou a errada, a certa, a estranha, a normal.
Um pôr do sol, uma lua cheia, um temporal.
A visita, a amiga, o ombro, o tapa, a dor na conciência.
Sou o indecifrável, sou afável , calada e deslumbrada.

Eu fui, sou, serei.
Eu existo pelo que sou, eu sou quando estou, eu fico quando sou, há alguém em mim quando sou, eu sou o que sou.

Mas o que sou não é matéria, não está na carne, não pode ser visto.
Esta tudo guardado, bem protegido, em um lugar chamado “alma”.
Não é possível conhecê-la inteira, porém algumas partes, quem apagar tudo que vem a mente neste instante, poderá ouvi-la cantando, dançando, poderá sentir suas cores.






"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador