quinta-feira, 23 de setembro de 2010

são apenas palavras..

As palavras despertam expectativas, ferem, alegram, nos fazem rir e chorar..

A falta delas também.
Porém me cobram palavras, querem simplesmente que eu traduza nelas tudo que eu sinto, não faço isso, não por não querer, mas por não existirem palavras que traduzam o que eu sinto.
Nenhuma consegue decifrar o imenso aperto no meu peito, nenhuma traduz aquele nó amargo na garganta, não consigo expressar qual a força orgulhosa me impede de falar tudo que vem a mente e agir como queria, mas me contenho, faço ironicamente sempre o contrário, ajo como se nada estivesse acontecendo e talvez essa indiferença seja apenas uma proteção e não uma tentativa de ignorar o que se passa a minha volta.
Talvez meras palavras não sejam o bastante para provar.
As palavras são fáceis, sedutoras e mentirosas.
Me recuso a deixá-las tomar conta, mas o que fazer quando a garganta não consegue mais silenciar?
Os dias são compridos, quando se pensa na falta que alguém faz.
Os segundos são eternos, quando conto as horas, quando penso na distância.
Será que tudo isso vale a pena? Será que vamos conseguir?
Eu realmente queria poder decidir isso, eu queria muito mandar no tempo..
Mas não posso, não sei como vai ser o amanhã, não sei o quanto vai mudar.
Mas cada segundo vale a pena, cada hora, cada dia.
E os dias podem ser torturantes, mas o fim sempre chega e com isso diminui um pouco o tempo, diminui esta distância em alguns centímetros, talvez segundos, que seja..
As cicatrizes costumam deixar um vazio receoso, muitas vezes mudam as pessoas e alguns deixam de acreditar.
Não acreditei em nada, por um bom tempo, mas o improvável aconteceu, e mais uma vez as coisas mudaram.
Nada de um milhão de sonhos e mais um de planos, nada de provas, nem de muitas palavras.
Meus olhos diriam tudo que precisa saber, se pudesse entender.
Eu realmente não sei o que é isso, não tem nome, não tem tamanho, não tem cor, mas só nós podemos sentir.
Talvez se entendesse o silêncio saberia, quando me pediu pra ficar, virei pro lado e te abracei e com imenso esforço segurei as lágrimas, talvez saberia quando me perguntou naquela noite a beira da praia, que o meu silêncio dizia um sim angustiado, por saber que não estaria por perto por um bom tempo e a idéia de perder tudo era assustadora.
O que aconteceu afinal?
Sabemos, sim nós sabemos, mas não me pergunte, as palavras são inúteis neste caso.
Talvez entenda um pouco, não preciso dizer muito, o tempo nem sempre ganha..

Um comentário:

  1. Me vi nesse texto...
    o olhar, ah o olhar, se todas as pessoas pudessem entender cada mudança de expressão saberiam muito mais o que sentimos do que se disséssemos a elas como estamos.
    Belo texto =]

    ResponderExcluir







"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador