domingo, 22 de novembro de 2009

milagres acontecem.





Tudo aconteceu a uns anos atrás.
Todos sabem da minha paixão por animais, mas aquele pequeno vira-lata, era diferente.Ocorreu quando eu morava na casa da minha vó.O que aconteceu? De alguma maneira queriam tirá-lo de mim. O nome dele é Billi , nenhum outro nome se encaixaria melhor.
Quando eu era pequena, uns sete anos, passava o verão com minha avó na praia . A vizinha tinhas uns cinco cachorros brancos , enormes, e o Billi ( que naquela época era chamado de "pretinho") , era a "ovelha negra" da família.Ele era diferente em muitos aspectos dos outros, muito pequeno, preto com marrom e uma lista branca perto do pescoço que lembra uma lua minguante, um baixinho nervozo e invocado, implicava com os outros cachorros , sem se importar com o tamanho, corria atrás dos cavalos, só tinha medo de uma coisa .. a água , odiava tomar banho. A dona dele era amiga do meu tio , queria livrar-se do cão , e deu-o a ele.Ele nem dava atenção pro animal , já eu me identifiquei com ele , foi digamos que "amor a primeira vista'' , andava com ele pra cima e pra baixo, em todos os cantos, tornou-se meu melhor amigo.
Chegou o dia de ir embora, mas eu não podia deixá-lo ali. Malas prontas , tudo no carro , tinha-mos que ir, minha vó foi abrir o portão , eu me sentei no banco de trás , peguei o Billi e escondi-o enrolado em um cobertor.Minha vó só percebeu a presença dele no meio da viajem , quando já não tinha como voltar.
Os anos foram se passando , eu crescendo e o Billi acompanhando tudo ali ao meu lado , sempre com a mesmo carinha , do mesmo tamanho..
Cada pessoa que cruzava em seu caminho , se encantava com a pureza do animal. Me protegia de tudo.Mas certo dia , o pelo dele começou a cair, sua pele começou a criar feridas, ele começou a ficar estranho..
O Billi já tinha passado por tantas coisas, pego tantas doenças, até depressão , não seria essa doença que poria fim a sua vida.O levamos ao veterinário, e todos nos diziam a mesma coisa :
_ É uma doença crônica, hereditária,ele vai perder todo pelo, criar feridas , não vai durar muito tempo , ainda não foi descuberta uma cura pra isso , não tem jeito ," é melhor sacrificar"..
Eu ficava estremamente indignada ao ouvir um veterinário , que passou anos estudando pra cuidar de animais , que ao meu ver era pra gostar deles, e fazer o possível pra que VIVAM , dizendo que "é melhor sacrificar'' , eu não quero o que é melhor , eu não quero o que é fácil , eu quero o Billi vivo , durante muuuitos e muuitos anos ainda , e não é por que me dizem que é "melhor sacrificar" que eu vou dar ouvidos a eles , e fazer o que me dizem , pois nem sempre estão certos , são meros humanos , vou achar alguém que me de esperanças ..
Resultado , o levamos em todos os veterinários , até um nos arranjar uma outra alternativa, que foi um batalhão de remédio por dia , spray , vacinas , todas as dozes com horários certos pra serem dadas. O tratamento foi caro , a luta pra dar remédios todo o dia , ele já não podia sair pra rua , foi um tratamento longo , cansativo , maas a nossa melhor recompensa era ter ele ali com a gente , abanando o rabo sempre que nos via , feliz , isso era o que importava.
Eu realmente não sei explicar como , já que nem a ciência e nem os veterinários conseguem ,
maas o pêlo do Billi cresceu novamente , as feridas cicatrizaram , ele se curou.
Nem sempre os livros nos dizem o melhor a fazer. Pode-se dizer que o amor o curou?
Hoje ele têm 12 anos , mora comigo , com a minha mãe , e o iago (nosso outro cachorro) .
Agora se me perguntam se acredito em milagres? , eu respondo:
-Acontecem a todo momento, basta saber enxergar.





Nenhum comentário:

Postar um comentário







"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador