domingo, 29 de agosto de 2010

Vamos lá..

Vamos lá, conte-me uma história de ninar
Vamos lá, tente me fazer sonhar.

Acenda o velho abajur, aponte pra parede e desenhe suas imaginações utópicas de possíveis amanhãs.
Explique a esta velha criança cansada, pra que servem os sentimentos?
Traga-me um copo, misture devaneios e futilidades, aqueça um pouco com seu sopro de possíveis verdades.
Diga pra sua mãe e seu pai, o quanto sente por suas vidas deprimentes.
Deixe a paciência lá, enquanto começa a regular o termômetro de inquietações.
Estou com febre, as dores nostálgicas ameaçam minhas costas, meu cérebro entra em briga com a mente.

Vamos lá, conte-me uma história de ninar
Vamos lá, me faça acreditar.

Que tudo que diz é verdade.
Que sua verdade reina em algum canto.
Me mostre como é possível estás luzes serem reais, me mostre como se encontra a paz.
Prove que estive errada o tempo todo.
Diga que o que vivi foi só um jogo.
Então me faça encontrar a verdadeira beleza escondida, uma segunda realidade.
Rasgue por favor os contos de fadas, ponha fogo nos finais felizes.
De que servem?
Se me diz que não existem..
Sonhei que podia voar, mas logo cai.

Então vamos lá, me conte uma história de ninar.
Vamos lá, faça-me delirar.

Esquecer tudo que vi, tudo que ouvi e vivi.
Nascer pateticamente de outra forma, menos desesperadora e mais sorridente.
Nascer cantando e poliglota misteriosamente.
Nascer em algum lugar do espaço, enquanto uma perdida estrela cadente tenta encontrar seu rumo.
E morrer perto do nada, onde eu possa fugir de lágrimas.

Vamos lá, conte-me uma história de ninar.
Pois essa é meio difícil acreditar.

Um comentário:







"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador