sexta-feira, 1 de abril de 2011

Filho de peixe

    ...nem sempre peixinho é.


 Em águas calmas, não tão limpas, vivia aquela pequena família, escondida entre algas e pedras.
O peixe mais velho, o chefe do humilde lar, conservador e o espelho para seus filhos, passeava com seu pequeno peixinho, o mais novo, cheio de vitalidade e curiosidades.
Quando de repente surge a frente  uma corda fina, com uma deliciosa isca presa, tentadora.
Imediatamente o peixinho sai correndo em sua direção, seu pai repreende, grita, diz que não!

O pequeno se emburra, quer saber por que..
O pai paciente e compreendendo a ingenuidade de seu filho, explica.

- Em dias de fome, quando tudo parece difícil, esta isca parece a saída mais fácil, enche seus olhos, mas é pouco, será que vale o esforço? Ela pode te prender e levar para a superfície, onde você não pode sobreviver, a vida lá não é possível a você, a tentação pode levar a morte.

- Mas eu sou mais esperto, mais forte que um fiozinho fraco, posso enganar o pescador, pegar a isca e fugir..

- Jovens! Teimosos, procuram o perigo. Sabes que são mínimas as chances de sair ileso, por que tanta curiosidade, o gosto bom acaba logo, sobra dor, sofrimento..

- Como sabe papai? Já esteve lá alguma vez? Já experimentou?

- Se o tivesse não estaria aqui, mas sei pelo que vi, pelas pessoas que perdi.

- Então não pode ter assim, tanta convicção. Talvez haja vida lá em cima, talvez seja até melhor, não quero envelhecer como o senhor, com medo, nessa mesmice, quero ver o mundo de fora..

- Pare de bobagens meu filho, não seja louco! Me prometa que NUNCA vai mordiscar a isca, que nunca vai lá em cima!Prometa?!

- Ta bom papai.

 No dia seguinte, ele comentava o ocorrido com seus amigos. Quis provar sua coragem, mordeu a tão desejada isca..
 O pescador puxou, jogou-o em seu pequeno barco, pegou sua faca afiada, enquanto isso ele se debatia, morria aos poucos, desesperado, já estava nas mãos ásperas do homem, que o cortava com cuidado, em seus últimos segundos de vida só restou arrependimento e a vontade de nunca ter conhecido o outro lado do mundo.

O pai quando soube da notícia só pode concluir, eu avisei!
Mais um filho curioso que se perde por ali.



  São ambientes e personagens diferentes, mas a história se repete, tanto ali, quanto aqui!

6 comentários:

  1. No oceano social as vezes temos que ariscar.

    ResponderExcluir
  2. vou seguir seu blog, seu o meu tambem?
    ;*

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto para se refletir!
    Vim te desejar uma FELIZ PÁSCOA com muitos chocolates!
    Espero sua visita em minha casa, tempo que não vem!
    bjs
    Borboleta

    ResponderExcluir
  4. Olá Garota!
    Parabéns pelo texto.
    Tem selo pra vc lá no blog.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá Shayane, tudo bem ?
    Tem um selo para você em meu blog.

    Beijos,
    Caio.

    ResponderExcluir
  6. Olá garota!
    Esse oceano, aos quais vivem nossos jovens peixinhos, além de tentá-los e oferecê-los as iscas mortais em vossas bocas, por vezes, os expelem para fora de suas águas limpas, mostrando-os um caminho de incertezas.
    E é triste constatar que as vezes, bons exemplos não valem para que não caiam nessas armadilhas.

    Muito reflexivo seu texto, parabéns!
    Um abraço!

    ResponderExcluir







"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador