quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Pesadelo.

Um copo de água gelado acalmou a sede mas não a matou
Um pingo insolente , pertinente , repousou sobre a mesa
O tic tac persistente de seu relógio não permitiu-me dormir
Uma madrugada assombrada por barulhos estranhos vindos do corredor
Não ousei abrir meus olhos , mesmo que nada tivesse , o medo não iria deixar

Um carro parou em frente a casa , que a não ser pela minha medrosa presença estaria vazia
Contei em minha mente , e exatamente trinta minutos foram o bastante para o carro se retirar.
Vozes apressadas e sussurradas , tentando esconder-se
Algo caiu , era o velho abajur de porcelana de minha avó
Um latido raivoso começou , meus cachorros estavam estranhos .

Abri meus olhos lentamente , percebi que não era um sonho
Fiz movimentos lentos , para minha velha cama não denunciar-me com seus barulhos.
Na ponta dos pés fui até a porta , pela fechadura ainda notava-se a presença de pessoas.
Os restos do abajur quebrado , e um radio no canto da escada.

Ladrões , sem dúvida alguma .
Que ótima idéia prender os cachorros , o que eu tinha na cabeça?
Agora eles não poderiam nem tentar me proteger , ao menos tentavam avisar.

Minha única saída era tentar ligar pra policia.
Peguei meu celular e disquei aquele tal ‘número de emergência ‘.
Respondi as tantas perguntas , e disseram-me que logo chegariam.

Enquanto isso eu escutava a todos os movimentos daqueles impertinentes estranhos.
Ficava ali parada , enquanto pegavam o computador, a tv , até mesmo o microondas foi separado.
Escutei quando ligaram pro tal homem do carro , dizendo que já podia vir.
Observei pela janela enquanto saiam com todas as coisas que foram compradas a tantos prazos e dividas .
Ainda pude ver de longe o carro partindo , e nada da policia.

Isso me deixou completamente frustrada , a impotência , a omissão.
Ver suas coisas sendo levadas por estranhos .
E não poder fazer nada!
Ninguém defende você , outros problemas são maiores.

Mas experimente , cidadão do ‘bem’ , apenas experimente roubar um quilo de arroz de um supermercado ..
Ai verá o quão rápido será banido , o quão rápido irão te massacrar , te censurar , até mesmo te prender.
Você não será protegido , pois não tem dinheiro.
A proteção custa caro , e é um luxo pra poucos.

Foi então que eu acordei , não passara de um sonho.
Já não bastasse acordada , até em meus sonhos corro o risco de ser assaltada.

Um comentário:

  1. poxa! muito interessante esses teus post hein!
    tens razãooo no que escreves, "faz um belô dia lã forá, vamoos conhecer Ô mar!" ihihi, coisas minhas! :D

    ResponderExcluir







"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador