domingo, 3 de janeiro de 2010

Um ano diferente



Um ano diferente de todos os outros.
Um ano em que nada mais emocionou , nada mais importou.
Um ano corrido, quente, maldoso , interesseiro e egoísta.
Um ano em que as tragédias já não são mais novidade e sim rotina.
Um ano em que as pessoas já não choraram , pois já se acostumaram com as perdas , as decepções , com as injustiças.
Um ano em que a esperança foi guardada para o futuro.
Em que a boca seca e o estômago vazio da criança já não se deu ao trabalho de ir pedir esmola no semáforo.
Um ano em que os talheres da cozinha serviram de arma para conseguir comida.
Um ano em que , enquanto uns viajavam e se divertiam , outros enterravam os filhos drogados.
Um ano em que a humildade foi deixada de lado.
Em que a fila do emprego deu a volta na cidade , mas somente um foi contratado.
Em que a música , a escrita , a pintura e a fotografia , não emocionaram o casal apaixonado , que separou-se logo em seu aniversário.
Em que os passarinhos não cantaram , para não incomodarem os humanos estressados.
Em que a depressão virou uma doença da moda , que só os ricos se dão ao luxo de ter.
Um ano em que o diferente ficou igual , tudo agora é banal.
Um ano em que pessoas não são pessoas , são produtos , meros números.
Um ano em que a amizade ficou distante , não sobrou tempo a ela.
Muito menos ao amor , que já não tem significado , que raramente é encontrado.
Um ano em que a natureza começa a sua vingança , por tantos mal tratos , por tanta ingratidão.
Um ano em que o sábio esqueceu a fala , em que o político errou o discurso , em que o padre foi preso por abuso.
Um ano em que o pai amedrontou a filha e a mãe ficou calada.
Em que a guerra não acaba , a criança perdeu a mão na confusão.
O inocente ganhou de presente a bala perdida , pouco importa se foi do ladrão ou da policia.
Um ano em que o trabalhador pagou pelo jatinho particular de um desconhecido.
O ano em que o povo desistiu de lutar e se calou.
Em que as pessoas vivem presas em suas casas e rotinas.
Que tem medo de conhecer a própria cidade.
Um ano em que o coração já não fala mais alto do que a razão.
O ano em que as pessoas tem medo de sonhar , de amar , de ser feliz.
Que os jornais estão cansados de terem sempre as mesmas matérias de morte , de desequilíbrio, de policia e ladrão.
O ano em que ninguém fez nada para melhorar.
Um novo ano acaba de chegar , não foi lá uma bela recepção.
Mas tentem acordar, de preferência já!
Tente viver ao invés de agir como um zumbi.
Faça por merecer este novo ano que já esta aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário







"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda, a gente anda pra frente E quando a gente manda, ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura.Na mudança de postura a gente fica mais seguro.Na mudança do presente a gente molda o futuro.."


Gabriel o Pensador